REGAS | Aspersão

Na irrigação por aspersão a aplicação de água no solo resulta da fragmentação de um jacto de água lançado sob pressão no ar atmosférico, por meio de simples orifícios ou bocais de aspersores.

Nos métodos de aspersão, a água cai na cultura sob a forma de chuva, visando o humedecimento de 100% da área ocupada pela planta. Os aspersores constituem as peças principais do sistema, responsáveis pela distribuição da água no terreno.

A elaboração de projectos de irrigação deve ser precedida do estudo antecipado dos recursos disponíveis, da disposição mais apropriada no terreno e do dimensionamento do sistema, para que não resulte num método inadequado que não atenda as expectativas de rentabilidade esperada.


Vantagens:
- Dispensa o preparo ou sistematização do terreno;
- Permite um bom controlo da lâmina de água a ser aplicada;
- Possibilita a economia de mão-de-obra;
- Possibilita a economia de água (maior eficiência);
- Permite a aplicação de fertilizantes e tratamentos fitossanitários;
- Menor necessidade de manutenção

Limitações:
- Distribuição de água muito afectada pelos factores climáticos, principalmente, o vento;
- Favorece o desenvolvimento de algumas doenças;
- Imprópria para água com alto teor de sais.
Exemplos